quarta-feira, 27 de julho de 2011

Melhores Desfechos com Guias de Desmame Ventilatório

Olá caros leitores há tempos longe, mas sempre acompanhando o mundo Blogger. Obrigado a novas participações e pelos emails enviados com mensagens motivadoras. 
Dando continuidade ao assunto de Desmame Ventilatório difícil na unidade de terapia intensiva tive a oportunidade de discutir com diversos colegas e encontrar na literatura trabalhos de grande importância sobre o ponto primordial: O PROTOCOLO DE DESMAME. 

Obviamente a particularidade clínica do paciente não nos permitir elaborar a interpretação generalizada de acordo aos guidelines, consensos e guias práticos, muito além desta é idéia não basta aplicarmos os guias  aos pacientes e sim os pacientes aos guias, encaixar o indivíduos na ciência é nossa papel afim de relevar a flexibilidade que na prática clínica deve existir.
O termo "PROTOCOLO" é um pouco tão designador de seguir de modo fidedigno o que está escrito, creio o que mais humilde e realista é empregar o famoso "check list",  e sempre preponderar o custo x benefício.
Mas algo inegável é o quanto isso trás benefício a quem mais precisa "o paciente", o seguimento de uma linha de racícinio de todos os profissionais que lidam com o paciente crítico tende a crescer cada vez mais com estudos mostrando o grande impacto clínico quando empregamos condutas padronizadas.
Podemos considerar como ALTA EVIDÊNCIA a implementação de guias de rotina na melhora clínica do paciente, pois a Colaboração Cochrane realizou uma revisão sistemática de ensaios clínicos com elevado valor científico, o resultado foi o que todos os profissionais compromissados que estão na área poderiam esperar.
Não é o meu objetivo aqui descrever o artigo na integra mas chamar a atenção aos principais pontos, até porque o prazer de ler o documento (em anexo) é essencial a cada um.
A divisão de dois grandes grupos: pacientes com protocolo x pacientes sem protolos submetidos ao desmame ventilatório, no primeiro grupo o paciente tinha o desmame ventilatório guiado de acordo uma série de variáveis clínicas e laboratorias, baseados na literatura, que deveriam ser avaliados, o segundo grupo era guiado de acordo o critério médico.
Vale ressaltar aqui que o objetivo não é observar por quem o desmame foi realizado e sim a utilização e a não utilização de um guia prático para a conduta.
O principais end points encontrados foram redução do tempo de ventilação mecânica significativamente menor no grupo que utilizou o protocolo.

Figura 1 - Tempo de VM


E ainda como a tecnologia tende avançar amplamente na saúde também podemos observar que protocolos guiados por sistemas computadorizados de ventiladores modernos não houve diferença no tempo de VM, diferentemente dos realizados por profissionais, demostrando sempre o quanto é soberana a clínica. Mas quando analizado ambos, pode se observar a superioridade do uso de protocolos.
Figura 2 - Protocolos guiados por sistemas computadorizados e profissionais

 

Apenas a famosa variável mortalidade não foi afetada pelo protocolo.

Figura 3 - Mortalidade



E claro pacientes com menor tempo de VM é devido a redução no tempo de desmame e consequentemente menores dias de internação na UTI, refletindo diretamente na redução de gastos e lógico em maior rotatividade na unidade crítica.

Figura 4 - Tempo de Desmame Ventilatório



Figura 5 - Tempo de internação na UTI



O artigo na íntegra segue em anexo para a leitura, a qual aconselho insistentemente, e estimulo o imprego de guias na prática afim de estabelecer rotinas padronizadas que beneficiem o nosso cliente.

Abraço a todos.

Referência
Bronagh Blackwood, Fiona Alderdice, Karen Burns, Chris Cardwell, Gavin Lavery, Peter O’Halloran. Use of weaning protocols for reducing duration of mechanical ventilation in critically ill adult patients: Cochrane systematic review and meta-analysis. BMJ 2011;342:c7237. [Donwload AQUI]







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário