domingo, 23 de agosto de 2009

Edema Pulmonar de Reexpansão - EPR


E ai galera... to meio sumido mesmo
Por conta da minha "CORRIDA ARMAMENTISTA PROFISSIONAL", estudando e muito para a residência
E em um dos meus estudos vi algo interessante que até então não havia conhecimento, então resolvi fazer um breve resumo e colocar aqui no blog, pois bem:
Edema pulmonar, como nós sabemos é o acúmulo de líquido nos pulmões, seja em seu espaço intersticial ou em casos mais avançados no espaço alveolar, decorrente de alterações pressóricas (oncótica e/ou hidrostática) dos vasos pulmonares e ainda por lesões endoteliais e aumento da permeabilidade capilar.
O EPR é uma compicação grave que ocorre após drenagem pleural (líquido ou ar), com alto índice de morbimortalidade
.
O primeiro relato sobre o condição clínica foi realizada por Pinault, em 1853, após a retirada de três litros de líquido pleural, contudo o primeiro bem documentado foi apresentado por Foucart, em 1875.
Não há ao certo uma condição fisiopatológica única para o desenvolvimento do EPR e sim uma união de várias alterações que contribui para o acúmulo de líquido dos pulmões que dentre as mais estudadas estão:


1. Aumento da pressão hidrostática devido à inundação vascular do pulmão reexpandido conseqüente à pressão negativa intrapleural;

2. Alteração da permeabilidade vascular devido ao estiramento da microcirculação pulmonar;

3. Alteração da tensão superficial alveolar secundário à diminuição de surfactante;

4. Alteração da permeabilidade da membrana vascular pulmonar devido à hipóxia no segmento atelectasiado;

5. Lesão mecânica causada pela abertura abrupta dos alvéolos colapsados;

6. Liberação de mediadores químicos, principalmente IL - 8 e oxido nítrico, que aumento a permeabilidade da membrana, levando o estravasamento de líquido para o interstício.

A contribuição de determinados fatores pode aumentar a possibilidade do EPR, chamando a atenção para um derrame pleural superior a 72 horas e/ou acima de 1.500 ml.
Sendo assim a atenção dos profissionais de saúde para tal situação é de extrema importância, uma vez que a resolução de uma condição clínica pode agravar outra e torna o quadro do paciente grave o tão quanto.
Como mostra o RX abaixo. O primeiro trata-se de um pneumotórax espontâneo no hemitórax direito e a segunda de um EPR exclusivamente no hemitórax direito após apenas 12 horas da resolução do pneumotórax.

Imagem 1



Figura 2


São poucos os estudos sobre a condição clínica, o que nos mostra a necessidade de aprofundar mais ainda no assunto, principalmente no que concerne a nossa atuação fisioterapêutica, medicamentos vem sendo utilizados (citoprotetores, AINE´S, diuréticos, etc.) Estudos em adamento se voltam para testes ainda realizado em animais com o uso de anticorpos monoclonais anti-IL8, como uma terapia protetora.
No que diz a respeito a nossa atuação encontrei apenas um estudo de caso que mostra a utilização de VNI em um paciente com o quadro típico, com o resultado de uma terapêutica eficaz após a intervenção. Segue abaixo os dados antes e após do paciente citado no referido estudo.

Antes

GASOMÉTRICOS
pH de 7,35
PaO2: 44mmHg
SaO2: de 77%
PaCO2: de 36mmHg

SSVV
FC: 130 bpm
PA: 100/80 mmHg
FR: 40 Ipm


Após (48 hs)

GASOMÉTRICOS
pH: 7,34
PaO2: 50,3mmHg
SaO2: 82%
PaCO2: 40mmHg

SSVV
com variações
FC: 90 a 110 bpm
PA: 100/80 mmHg
FR: 20 a 24 Ipm

Embora a persistência da hipoxemia o quadro clínico mostra uma melhora significativa com paciente evoluiu para alta em 48 hs para enfermaria e em 3 dias a hospitalar.


REFEÊNCIAS:

Macedo Neto Amarilio Vieira de, Gabiatti Gémerson, Silva Jair Garcia da. Edema pulmonar de reexpansão tratado com ventilação não invasiva: relato de caso. Rev. Col. Bras. CiR. 2001 Fev; 28(1): 71-73.

Genofre EH, Vargas FS, Teixeira LR, Vaz MAC, Marchi E. Edema pulmonar de reexpansão. J Pneumol. 2003 29(2): 101 - 106.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

  1. ei Dr. saudades de vc!! gostei do assunto ja tinha escutado falar, mas nunca li a respeito. te perguntar... o EPR é iatrogenia ou existem fatores de risco??

    ResponderExcluir
  2. E ai mestre Felix saudades de vc tb... existem fatores de risco como mostra o texto acima
    "...derrame pleural superior a 72 horas e/ou acima de 1.500 ml."e outras comorbidades tb (hipertensão, cadiopatias, etc)
    Valeu grande abraço

    ResponderExcluir