sábado, 18 de abril de 2009

O PORQUE DO BLOG


De acordo com as bases filosóficas o EMPIRISMO é um movimento que acredita nas experiências como únicas formadoras das idéias, discordando, portanto, da noção de ideias inatas, consagradamente notáveis, porém conflitantes com inéditos CONHECIMENTOS cuja base é CIENTÍFICA.

Com o avanço da humanidade surgiu a busca pelo ser concreto/palpável/identificável de forma evidente e incontestável. O simples fato do ser/acreditar pela experiência já não é mais suficiente para satisfazer o ser pensante que começa a partir desse ponto contribuir de forma evidente para o avanço da humanidade.
Eis que surgi então a necessidade de mostrar a todos comprovações sobre todos os fatos ocorrentes no meio (o que hoje ainda continua por acontecer), principalmente aqueles que ocorrem organicamente.
A preocupação com a vida humana começa a exigir estudos científicos para embasar cada vez mais a explicações fisiológicas das doenças e principalmente formular terapêuticas com fundo científico eficaz.
Dessa forma diversas áreas da saúde começaram uma corrida científica incansável, buscando melhorar cada vez mais o OBJETIVISMO sustentado através da CIÊNCIA na sua intervenção.
Foi a partir desse ponto que a ciência começa a afunilar com parâmetros quantitativos/numéricos fidedignamente confiáveis pela mensuração de variáveis individuais de cada ser. Parâmetros esses capazes de direcionar o diagnóstico, a terapêutica e o prognóstico do indivíduo.
Quando falamos em fisioterapia, pensamos logo. “HÁ JÁ SEI.... É A CIÊNCIA DO MOVIMENTO”. E para nós o que é ciência e movimento? Ciência como já supra citado é o embasamento objetivo para os fenômenos, já movimento nos faz pensar em cinética/mecânica que estão ligados intimamente a nossa velha conhecida física, ciência exata que nunca se dissociou dos valores numéricos para explicar o universo ou qualquer coisa que aconteça em nossa plano.
Tudo fisicamente comprovado foi um dia demonstrado através de cálculos, equações etc., origem do universo, explosões para o surgimento das galáxias, teoria das supercordas, fenômenos naturais (furacões, tempestades, tsunamis, vulcões), enfim “N” situações inimagináveis para nós de serem demonstrada de forma exata/objetiva/quantitativa, mas não para seus estudiosos que se empenharam para que isso hoje fosse explicado e evidenciado cientificamente.
Nós fisioterapeutas, somos engenheiros/físicos da vida, o profissional da saúde que detém o maior conhecimento sobre mecânica/cinética, somos nós os responsáveis pelo movimento do indivíduo capazes de explicar seus “furacões, explosões, tempestades, tsunames etc.
“Daí surgiu em minha mente, e o que como estudante e futuramente profissional eu estou fazendo para contribuir com a minha ciência?” Me sinto incomodado com o fato de ficar parado nesse momento e não poder fazer nada por nossa humanidade como cientista físico da vida, foi a partir dessa inquietação que surgiu a idéia de aprofundar cada vez mais na nossa ciência.
Cheguei ao ponto de exaustão de ver, presenciar e ser ensinado a diagnosticar e tratar de forma aleatória sem parâmetros e de ouvir: “EI COLOCA UM KILO AI PRA ELE LEVANTAR O BRAÇO E FAZER 3 DE 15 ... ESSE PACIENTE PRECISA DE INCREMENTAR A FORÇA NA MUSCULATURA VENTILATÓRIA, COLOCA 20 DE TRESHOLD PRA ELE... ESSE AI... HÁ ... ESSE AI PRECISA DE EXPANSÃO TORÁCICA, UTILIZA UM VOLDYNE. E a necessidade, a sede que eu tenho hoje é de ver a nossa profissão assim... “ EI ESSE AQUI TA COM FRAQUEZA NOS FLEXORES DO COTOVELO, VAMOS VER A RM DELE E COLOCAR 70% DELA E FAZER 3 X 10 PARA INCREMENTAR FORÇA... ESSE PACIENTE TA COM FRAQUEZA DA MUSCULATURA INSPIRATÓRIA PARA SUA IDADE, MESUREI AQUI NA VACUOMETRIA E OBTIVE QUE ELE TEM APENAS 50% DE SUA FORÇA IDEAL, VAMOS TRABALHAR A FORÇA DELE COM 55% DA SUA PImáx COM O TRESHOLD POR 10 MINUTOS ... HÁ... ESSE AI PRECISA DE EXPANSÃO PULMONAR, MENSUREI A CV DELE AQUI CARA E FOI DE 22 ml/Kg ENTÃO O IDEAL PRA ELE É UM EPAP.
Então é isso, é saber como diagnosticar o que usar para tratar, quando usar, quanto usar. Claro que hoje nem todos os instrumentos necessários para essas mensurações se encontram em todos os serviços devido o seu elevado custo, mas se continuarmos dessa forma nada poderá ser feito cientificamente, nada poderá evoluir na nossa profissão e continuaremos desvalorizados como sempre. Temos que meter a cara e dizer: “OU COMPRA OS MEUS INSTRUMENTOS OU NÃO EXISTE FISIOTERAPIA!”
Claro e evidente que toda a clínica do paciente é soberana e devemos sempre enfocar isso, entretanto em outros aspectos precisamos melhorar.
PRECISAMOS MUDAR NOSSA CARA... ALGUÉM PRECISA BATER O PÉ PRA MUDAR ISSO!
E se você está disposto a lutar por isso esse é seu lugar. Objetivamos uma fisioterapia científica e que trabalhe com embasamento.
Ou mudamos ou vamos continuar nisso!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. A questão é meu amigo, poucos são estes dispostos a sair do empirismo!! E temos que tornar nossa classe bem mais uniforme quanto a isso, o grande desafio é incentivar essa busca pela ciência exata, que é nossa profissão, na graduação. Precisamos de mais mestres e doutores em Fisioterapia, profissionais cada vez mais qualificados para a busca de evidências associando com prática clinica (a tão falada Fisioterapia baseada em evidências). Mas o que vemos são simplesmente esses pensamentos tecnicistas, sem raciocinar o porquê de nossas condutas! Fico feliz que vejo hoje alguns colegas da UESB cm esse pensamento de mudar essa realidade empírica da profissão. Sorte para todos nós, pois o Futuro da Fisioterapia só depende de nós mesmos. Parabéns pela iniciativa, e estou aguardando a primeira discussão!

    ResponderExcluir
  2. Poh mestre muito massa esse blog... Teve a manha de faze-lo, muito interessante mesmo!!!

    ResponderExcluir
  3. Isso mesmo Felix mas enquanto não temos um corpo docente, temos que andar com as próprias pernas para tomar a iniciativa de mudar isso tudo e futuramente não passar o empirismo para os novos acadêmicos.

    ResponderExcluir
  4. Grande Venício, que felicidade ter você na blogosfera, parabéns pela iniciativa mesmo...de coração. Sou da luta também, saibas que as nossas discussões enquanto seres que críticam visando edificar e reconstruir, problematizar e às vezes até ferir... é o que nos faz mover e mover a roda da vida...
    Grande abraço

    ResponderExcluir